Palavra da Semana

Religiosidade

O fermento dos fariseus tem um imenso poder de matar o seio da Igreja! A fortaleza do poder, de ser melhor que os outros, de vestir capas ministeriais. Quantos pastores ou líderes podem fazer de suas capas ministeriais verdadeiras fortalezas! A mente da pessoa se torna dura, aponta dedos, e se torna cega a ponto de não ver sua própria situação de pecador.
Fazer “cara de santo”, ou fazer propaganda dos próprios feitos ministeriais, tem sido um grande veneno.
Acredito que o maior inimigo do evangelho puro do Senhor não é o pecador, mas sim a religiosidade. Vemos durante o ministério de Jesus na Terra, que a maior resistência que ele enfrentava não vinha dos pecadores, mas sim dos fariseus, conhecedores da Lei e que se diziam zelosos pelas coisas de Deus.

“Ai de vós, doutores da lei, que tirastes a chave da ciência; vós mesmos não entrastes, e impedistes os que entravam”.
(Lc 11.52)

Isso é um veneno que sutilmente pode nos contaminar, se não estivermos com os olhos bem abertos e não tomarmos cuidados para manter a essência do cristianismo: a comunhão.
Muitas igrejas, onde opera a religiosidade e espírito de heresia e distorções, trazem tantas prisões quanto os pecados no mundo. Na verdade, todos nós e nossas igrejas estão suscetíveis a isso. Precisamos vigiar e orar.

ORAÇÃO: Senhor, eu te peço perdão por todo farisaísmo, religiosidade, superioridade e orgulho. Limpa meu coração, e que eu não seja enganado por mudanças aparentes em mim. Eu recebo a revelação da necessidade no novo nascimento, do perdão, da graça e do relacionamento de família que preciso ter contigo e com meus irmãos. Em nome de Jesus, amém!

Nenhuma tag