Estudo de Célula

O bom soldado de Cristo

Texto-Chave: II Timóteo 2:1-4,7

Uma das imagens mais fortes reveladas na Bíblia acerca da Igreja é a de um exército. Ela aponta para o caráter conquistador do Reino de Deus, do qual a Igreja é o principal agente. Em 248 passagens bíblicas Deus é identificado como Yaweh Tsabah (Senhor dos Exércitos), a maioria delas no Antigo Testamento, especialmente nos livros proféticos. Isso pode ilustrar a importância dessa revelação na Palavra!
O Apóstolo Paulo explorou esta figura de maneira muito profunda. Como um verdadeiro comandante, ele militava na linha de frente e preparava seus discípulos com soldados fiéis. Nesta passagem, ele ensina seu discípulo Timóteo a se portar como “bom soldado de Jesus Cristo” e os conceitos que ele aborda servem para nós também seguirmos o mesmo exemplo. Vamos ver quais a principais marcas que precisamos desenvolver, nesta perspectiva…

1. PREPARO CONSTANTE – “Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus” (vs. 1) – Uma academia militar é um lugar de disciplina. O soldado precisa estar preparado para a guerra e esse preparo ocorre fora da batalha, através de intensos exercícios e aprendizado. Por isso a necessidade de “fortificar-se na graça”… Há pessoas que permanecem débeis na fé por longos anos, porque não se sujeitam à disciplina. Não oram, não leem a Bíblia, não jejuam, não se exercitam na fé… Resultado: não têm estrutura espiritual. Um soldado fraco, despreparado, torna-se um entrave na hora da batalha. Além de não conquistar, ele ocupa aqueles que poderiam estar conquistando e seu despreparo muitas vezes “afeta o moral da tropa”. Interação em grupo: Coloque em discussão as seguintes questões: 1) O que significa “fortificar-se na graça”? 2) Nos tempos de conflito, você se considera um soldado que “carrega os outros nas costas” ou que precisa ser carregado? 3) Qual o papel de disciplinas como estudo bíblico, oração e jejum no nosso fortalecimento espiritual?
2. FIDELIDADE TRANSFERÍVEL – “E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros” (vs. 2) – Paulo enfatiza a necessidade de homens fiéis e idôneos, capazes de cumprir sua missão sem desertar e também de prepararem outros… A hierarquia e a autoridade são o fundamento principal de um exército, Paulo fala de uma transmissão de conceitos de homens fiéis para homens fiéis. Esta é a marca do discipulado: pessoas que se submetem em fidelidade para serem formadas vencedores em Cristo. Interação em grupo: É impressionante o número de desertores infiéis no exército de Deus! Parece que Paulo estava desesperado por gente fiel. Como um comandante, ele sabe a dor que causa um desertor… Na igreja hoje, muitos vivem cheios de melindre e não sabem o mínimo valor de uma aliança. Pelas coisas mais tolas, abandonam seu pelotão e sua missão… Quais serão os motivos de tanta gente desistir da fé, em nossos dias?
3. CAPACIDADE DE SUPORTAR AFLIÇÕES – “Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo” (vs.3) – Muitas pessoas estão na igreja como se fosse um resort, um lugar onde pagam para estar confortáveis e fazerem sua própria vontade. Entretanto, a igreja é uma academia militar e estamos em guerra. Temos que aprender a sofrer, a suportar aflições. O bom soldado é aquele que aprende a não desistir nunca, mesmo em face da morte! Se passamos por aflições, na guerra ou no treinamento, está tudo normal. Temos suprimento, respaldo de Deus e armas poderosas, mas não estamos isentos de sofrer, de passar por apertos. A questão é decidirmos sofrer como conquistadores e não como dominados! Interação em grupo: Leia Jeremias 12:5 e peça para as pessoas extraírem a grande lição desse texto. 4. FOCO NA MISSÃO – “Ninguém que milita se embaraça com negócio desta vida…” (vs. 4a) – Estar embaraçados (presos) com negócios dessa vida tem sido a causa do fracasso de muitos soldados de Cristo. Permitem que seus corações se prendam com coisas meramente humanas (ambição, dinheiro, dívidas, sonhos fúteis, paixões, amizades carnais, etc…). Interação em grupo: Proponha as seguintes reflexões: O que o diabo está usa para tirar soldados de Deus da missão? Como podemos trabalhar e nos divertir, sem deixar que isso nos roube do serviço ao Senhor, que é nossa principal razão de viver?
5. MOTIVAÇÃO CORRETA – “a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra” (vs. 4b) – A última verdade a que Paulo se refere é a principal de todas: Por que lutamos? Para impressionar a homens? Para obedecer a um sistema (visão)? Ou para agradar a Deus, aquele que nos tirou da escravidão do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor? Nós fomos arregimentados pelo Senhor. Não estamos no exército de Deus por escolha própria, mas porque fomos resgatados e convocados por Ele. Precisamos sempre nos lembrar do que Deus foi capaz de fazer por nós. Temos uma dívida de gratidão! Interação em grupo: Coloque a seguinte questão: O que muda em nossa consciência e atitudes saber que o Senhor nos alistou para a guerra?
CONCLUSÃO – Se houver algum visitante não crente ou desviado, desafie-o a entregar sua vida a Cristo e viver uma vida livre das amarras religiosas. Conduza uma oração de entrega e consolide-o. Tenha um tempo de ministração, abençoando seus discípulos e exorte-os a não deixarem de participar ao vivo dos cultos online da igreja.

Pr. Danilo Figueira

Nenhuma tag