Palavra da Semana

Os extremos

Estamos em tempo de Natal, Ano Novo, festas, e nessa época temos a tendência de sermos místicos, em vez de sermos práticos.
Sabemos que a vida cristã é uma prática, e não uma teoria. Jesus não apenas falou de amor, mas veio e se deu por amor. Ele mesmo disse “eu não vim revogar a Lei, mas para cumpri-la”. Não adianta falarmos demais e vivermos de menos. Se fizermos isso, o evangelho se tornará uma corrente filosófica cada vez mais chata.

A Palavra de Deus precisa ser praticada. Muitos pensam na melhor forma e melhor roupa de passar o ano novo, ou fazem votos e pedidos em papéis para que Deus cumpra durante o ano. Mas só poderemos colher bons frutos no novo ano se plantarmos boas sementes.

Temos vivido diversas discussões sobre o Natal, sobre o Papai Noel sobre a árvore, e tantos detalhes, que provavelmente tem ocupado o lugar das discussões que deveriam estar acontecendo: o que precisa ser mudado em nós? Como alcançar mais corações pro Senhor? Como melhorar nosso ministério?

O grande problema das discussões desnecessárias é que elas ocupam o lugar das necessárias.

“Nem se dêem a fábulas ou a genealogias intermináveis, que mais produzem questões do que edificação de Deus, que consiste na fé; assim o faço agora.
Ora, o fim do mandamento é o amor de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida.
Do que, desviando-se alguns, se entregaram a vãs contendas;
Querendo ser mestres da lei, e não entendendo nem o que dizem nem o que afirmam”.
(1 Tm 1:4-7)

Kathrn Kuhlman disse: “esta coisa de ser um cristão, é muito mais que derramar algumas lágrimas. É muito mais que cantar músicas aos domingos na igreja. Esta coisa, de ser cristão, é uma VIDA”.
Portanto, tudo que não interfere ou causa mudança de fato na vida real, é mera teoria e pode se tornar discussão que apenas causa divisão.

Em que temos investido para mudar nossa vida, e a vida das pessoas que o Senhor nos confia?
Muitas igrejas estão cheias de ideias e ensinamentos aparentemente tão ricos mas que apenas pesam nas pessoas, em vez de dar direções e respostas práticas.

O evangelho é puro e simples, e Jesus veio pratica-lo. Nós também devemos fazer assim.
Muitos fazem longos jejuns mas nunca consertam uma barreira de relacionamento que têm com outra pessoa, há anos. O evangelho verdadeiro é reconciliação com Deus e com os homens.

Que possamos encher nosso tempo da presença de Deus e de uma busca que causa mudança em nossa geração

-Jonathas L. Miguel

Nenhuma tag